Medidas na cozinha: como isso influencia no resultado do prato?

medidas na cozinha para condimentos das receitas

Quando se fala em medidas na cozinha, qualquer erro na hora de preparar um prato pode ser fatal. Isso porque toda receita deve ser feita seguindo um passo a passo com vários ingredientes e quantidades. Se você errar na proporção de um item sequer, o seu delicioso preparado pode não dar certo.

Já imaginou você na cozinha desenvolvendo uma receita deliciosa para os seus convidados e o prato preparado com tanto carinho não ir à mesa pelo simples fato de você ter deixado faltar umas graminhas a mais de determinado produto? Seria muito frustrante, não é mesmo?

Pensando nisso, desenvolvemos este post com várias dicas sobre medidas na cozinha para você acertar sempre nas suas receitas. Além disso, falamos um pouco sobre os principais utensílios para cozinha que ajudam na hora de cozinhar.

Quer saber mais sobre o assunto? Então acompanhe o post até o fim!

Dicas para ajudá-la a acertar as medidas na cozinha

Pessoas amantes de uma boa culinária e que adoram cozinhar sabem muito bem porque uma receita desanda. Certamente, alguma medida faltou ou passou do ponto certo.

Por esse motivo, apresentamos a seguir algumas dicas que farão com que você não erre mais nas proporções dos ingredientes de seu prato.

Conheça os métodos e padrões de medidas usados na cozinha

A medida certa é um dos principais fatores que pode definir a qualidade do seu prato. Por isso, seguir essa dica é fundamental para que a sua receita saia sempre conforme o esperado. Para isso, se faz necessário conhecer bem as conversões de medidas na cozinha.

Farinha de trigo e fermento em pó

  • 1 colher de sopa = 25 g
  • 1 xícara de chá = 120 g
  • 1 colher de chá = 7,5 g

Líquidos

  • 1 colher de sopa = 15 ml
  • 1 xícara de chá = 240 ml
  • 1 colher de chá = 5 ml
  • 1 colher de café = 2,5 ml
  • 1 copo americano = 250ml

Açúcar

  • 1 colher de sopa = 12 g
  • 1 xícara de chá = 180 g

Sal

  • 1 colher de sopa = 20 g
  • 1 colher de café = 5 g

Chocolate em pó

  • 1 colher de sopa = 6 g
  • 1 xícara de chá = 100 g

Para que as medidas na cozinha fiquem sempre certas, é necessário respeitar exatamente essas proporções. Mas lembre-se de que as quantidades devem ser rasas, ou seja, quando for medir na xícara, copo ou colher, a recomendação é passar a faca (do lado contrário ao corte) rente à borda do medidor para retirar o excesso do ingrediente.

Tenha as ferramentas certas

Uma comida saborosa é essencial para o sucesso de uma refeição. Porém, para que ela atinja o ponto ideal é necessário utilizar as ferramentas certas. Assim, além de acertar na receita, você também poderá cozinhar com mais agilidade.

Para medir os ingredientes de uma receita de forma correta é necessário saber que existem dois métodos de quantificação dos produtos: a medição por capacidade e a medição por massa.

  • capacidade: é a medida em litros ou mililitros (mL);
  • massa: é a medida em gramas ou miligrama (mg).

Na grande maioria das receitas, a medida mais utilizada é em gramas. Para fazer essa medida certinha é essencial ter uma balança calibrada. As de bancadas são muito comuns e fáceis de serem encontradas, principalmente em e-commerces. No caso de não ter uma dessas em casa, você pode utilizar a tabela de conversão e fazer as medidas em xícaras ou em colheres.

Para as medidas em capacidade, em geral, as ferramentas mais utilizadas são colheres de chá, sopa e xícaras. Alguns profissionais, dependendo da região do Brasil, também utilizam muito como medida padrão de capacidade o copo de requeijão, o qual tem capacidade para medir 200 mL dos líquidos.

Ao referir a proporções por xícaras e colheres de sopa e de chá, não estamos falando desses utensílios comuns que temos em casa. São ferramentas específicas próprias para o uso na culinária. São medidas padronizadas, o que significa que se você trocar a ferramenta técnica pela comum, pode ser que a sua receita não dê certo.

Anote as medidas de cada prato em um caderno ou bloco de anotações

Nem sempre conseguimos acertar uma receita de cabeça, a não aquela que fazemos com muita frequência. Mesmo assim, na correria do dia a dia e com tantos acontecimentos inusitados que passamos, ainda corremos o risco de esquecer algum ingrediente ou medida.

Por isso, anotar as medidas dos pratos escolhidos em um caderno ou bloco de notas ajuda muito a acertar o ponto daquela refeição especial que você está pensando em fazer. Uma outra ideia é criar o seu próprio livro de receitas. Assim, cada vez que você se interessar por alguma, pode adicioná-la em seu exemplar.

Dessa forma, você não precisará recorrer o tempo todo à internet para fazer o seu jantar delicioso  nem precisará forçar sua mente para lembrar da receita completa e de suas medidas.

Principais utensílios de medida

Como dito, é muito importante ter utensílios certos para realizar as suas medidas corretamente. A seguir apresentamos os principais utensílios de medidas essenciais para uma cozinha, bem como suas funções.

  • Xícaras medidoras: ideais para medir alimentos secos. Podem ser encontradas em inox, plástico, nylon, porcelana etc. Também são disponibilizadas em diversos modelos para enfeitar sua cozinha.
  • Colheres medidoras: servem para pegar a quantidade correta recomendada pela receita, assim, a dúvida se é uma colher cheia ou rasa não existirá mais. Elas vêm em kits e contêm várias proporções de medida: ½ colher de chá e ½ colher de sopa, por exemplo.
  • Copo de medida: esse é o mais utilizado pelas cozinheiras e pode ser encontrado a preços bem acessíveis. Ele mede tanto massa quanto capacidade.
  • Balança digital: recomendada para medir maiores quantidades de massa a seco. É um item muito fácil de usar e tem a função tara, que auxilia a medir a balança utilizando um refratário.

É muito importante utilizar medidas na cozinha. Afinal, quantificar os ingredientes de forma correta é garantia de sucesso e qualidade na sua refeição. Um outro benefício é a economia dos alimentos, pois, sabendo a proporção certa a ser utilizada, você economiza tanto nas compras dos produtos quanto na sua utilização durante o preparo dos pratos.

E aí? Gostou do nosso post? Então, aproveite a sua visita à nossa página para conhecer mais sobre os utensílios para medir!

 

5 dicas incríveis para você comprar a melhor panela de pressão

um exemplo: melhor panela de pressão

A panela de pressão é um utensílio imprescindível no preparo de alguns alimentos — determinados pratos só podem ser elaborados com a sua ajuda. De fato, ela prepara alimentos rapidamente e pode representar muita economia de gás e tempo. Mas será que você sabe qual é a melhor panela de pressão?

Diante de tantos modelos no mercado, fica até difícil saber qual é a melhor opção. Sendo assim, vamos relacionar algumas dicas que podem ajudar você a comprar esse utensílio que não pode faltar na sua cozinha!

Continue a leitura e veja, neste post, como escolher a panela de pressão ideal para as suas necessidades!

História da panela de pressão

A baixa pressão atmosférica existente nas montanhas, quando comparada ao nível do mar, tinha como resultado a diminuição do ponto de ebulição da água, causando dificuldades no cozimento dos alimentos.

Diante disso, surgiu a necessidade de criar uma forma mais rápida de preparar as refeições, igualando em altas altitudes a mesma pressão atmosférica existente nas baixas. Foi assim que concluíram que seria necessário criar panelas com condições de fervura a 100 graus ou mais. Porém, para isso, teriam que criar uma variedade que fosse completamente vedada.

Foi assim que, em 1679, o físico francês Denis Papi inventou um utensílio que, segundo as suas próprias palavras, “amolecia os ossos e cozinhava rapidamente as carnes mais duras”. Surgiu, então, o nome de “digestor” ou “marmita de Papin”.

Diante disso, foi criado um recipiente de ferro fundido. A sua tampa continha uma válvula de segurança que o fechava hermeticamente. Na verdade, o invento foi um sucesso, visto que a pressão criada pelo vapor de água aumentava o grau de ebulição. A válvula, por sua vez, tinha a função de assegurar a saída de vapor em excesso, mantendo a pressão nivelada.

Sendo assim, os alimentos, principalmente os mais difíceis de cozinhar, como carne e feijão, eram preparados de maneira mais rápida.

Benefícios da panela de pressão

Confira as principais vantagens de cozinhar em uma panela de pressão!

  • economiza tempo: em uma panela normal, você leva para cerca de 3 a 4 horas para cozinhar alguns quilos de carne bovina. Com uma boa panela de pressão, você reduz esse tempo em cerca de 70%;
  • tem segurança: ter medo de uma panela de pressão faz parte do passado. Os modelos atuais garantem bastante segurança. Além disso, contam com pegadores que se mantêm frios, garantindo mais conforto para quem a utiliza;
  • alimentos com mais sabor: a panela de pressão ajuda a manter o sabor e teor nutritivo dos alimentos, bem como o aspecto físico, mantendo a textura e a cor natural;
  • economia de espaço: a funcionalidade de multi função faz com que haja economia de espaço. Alguns modelos, além da função de panela de pressão, são também panela de arroz e de cozimento lento.

Dicas para escolher a melhor panela de pressão

Para que você não erre na escolha de sua panela de pressão, alguns fatores devem ser observados de acordo com as suas preferências. Confira!

1. Fique de olho nas novidades

Antes de escolher o seu modelo preferido, verifique se não há novidades que podem ser bem atrativas.

2. Verifique o material

A panela de pressão pode ser feita de inox ou alumínio. A de inox é mais resistente, mais durável, não oxida e distribui melhor o calor. Além disso, é uma ótima opção para quem não abre mão da máquina de lavar louça, pois pode ser lavada neste local sem qualquer problema.

As panelas de alumínio, por sua vez, apresentam aquecimento rápido e homogêneo. No entanto, ao longo do tempo e conforme o uso, elas podem ficar com manchas difíceis de serem retiradas.

Existem ainda os tipos revestidos com material antiaderente, que evita que alguns alimentos grudem no seu interior.

3. Avalie a forma de fechar

Se você tem problemas com o fechamento da panela de pressão, observar esse detalhe é importante na hora da sua compra. Existem dois tipos de fechamento de panela de pressão: interno ou externo.

O interno é aquele mais comum e que muitas pessoas têm receio. Já o externo é mais simples, encaixa-se mais facilmente, sendo mais fácil de abrir e fechar. O fechamento externo tem outro benefício relevante: acelera o tempo de cozimento.

4. Verifique a capacidade da panela

A capacidade das panelas de pressão pode variar de 3 a 6 litros, em média. O ideal é que você tenha em mente qual é o tamanho ideal para os preparos que costuma fazer.

5. Olhe os recursos extras

Além dos itens obrigatórios pelo Inmetro, existem outros que merecem atenção por representarem mais segurança e conforto para o usuário. Exemplo disso são os dispositivos extras para garantir que estão bem fechadas e evitar acidentes, como janelas, válvula e travas. Existem itens com até cinco sistemas de segurança.

Outro recurso extra muito útil é o indicador de pressão — ele indica o momento certo para abrir a panela.

O sistema de descompressão é muito útil e está disponível em algumas panelas. Ele permite retirar a pressão interna, sem que sejam necessários os truques de colocar a panela embaixo da torneira ou ficar levantando a válvula.

Tipos de panela de pressão

Panela de pressão com visor

Ela permite a visualização do preparo, evitando o risco de queimaduras. Isso porque conta com um visor de vidro temperado que suporta altas temperaturas, choque térmico e impactos. O modelo vem com uma haste para auxiliar na limpeza dos orifícios do pino e da válvula de funcionamento.

Panela de pressão elétrica

Esse tipo de panela de pressão conta com mais segurança que os modelos tradicionais, visto que tem um controle interno de temperatura com timer inteligente. O tempo de cozimento é regulado e só é ativado quando inicia a pressão.

A sua tampa tem um travamento de segurança que impede que a panela se abra enquanto estiver com pressão. O recipiente de cozimento é removível — o que facilita a limpeza. Apresenta também válvula de controle de pressão e medidor de volume externo.

Panela de pressão com medidor de água interno

Fabricada em aço inox, esse modelo não solta resíduos nos alimentos. Conta com um fundo triplo que distribui o calor uniformemente. Excelente para quem é inseguro com panela de pressão, pois conta com 5 dispositivos de segurança. A panela vem com uma função a mais, que é cozinhar alimentos no vapor.

Então, animou-se para comprar a melhor panela de pressão? São modelos incríveis, não é mesmo? Na La Ville, é possível encontrar vários utensílios domésticos que vão deixar a sua casa super equipada! Faça-nos uma visita!

Gostou deste post? Viu como a panela de pressão é uma invenção bem útil? Confira esse e outros itens no nosso site!

Não perca 6 ideias para festa de noivado que vão encantar

luau é uma das ideias para festa de noivado

A maioria dos casais fica em dúvida quanto às ideias para festa de noivado e não sabe como garantir que o evento seja diferente e um sucesso. Esse tipo de comemoração serve justamente para anunciar o casamento aos familiares e amigos. Então, é indispensável caprichar.

Em alguns casos, os noivos aproveitam o momento para convidar os padrinhos ou, até mesmo, para realizar o pedido de casamento com todos reunidos. De qualquer forma, é uma data que entrará para a história do casal apaixonado.

Planejar a ocasião é imprescindível, portanto, nada melhor do que ter boas ideias e se inspirar, certo? A seguir, separamos 6 dicas que vão ajudar a deixar essa data inesquecível. Confira!

1. Pensar no estilo da festa

Alguns noivos preferem algo simples, enquanto outros desejam transformar a ocasião em uma grande celebração, com muitos convidados. O essencial é que o evento siga a personalidade do casal, assim será possível marcar esse dia tão importante e emocionante. Para facilitar, é imprescindível pensar em um tema que guie a festa e seus elementos.

Vale utilizar o filme preferido como pano de fundo, o destino de uma viagem especial, o estilo provençal ou rústico e até recriar a ambientação do primeiro encontro. Pense, também, no tamanho da comemoração, já que será mais fácil decidir o local, a quantidade de convidados e os outros detalhes a partir dessa escolha.

Dá para realizar a festa de noivado em casa, em um espaço externo, como o jardim, em um salão de festas ou até em um lugar especial para o casal.

2. Definir um bom cardápio

Já que o cardápio da comemoração precisa seguir o estilo estabelecido como tema principal, ele deve estar de acordo com a ocasião. Há noivos que preferem realizar um almoço ou um brunch como forma de celebrar essa etapa. Nesses casos, é importante pensar em alguns pratos que agradem a todos.

Uma dica interessante é prestar atenção no clima, afinal, servir um cardápio quente e pesado no verão não cai tão bem quanto oferecer opções mais leves, como saladas.

Outra boa aposta é incluir finger foods, que são ótimas alternativas para um coquetel ou uma festa descontraída, além de agradarem em cheio aos convidados. Os petiscos e aperitivos são igualmente bem-vindos e oferecem diversas possibilidades.

Por fim, uma mesa com um bolo decorado e docinhos rende boas fotos e serve como ponto central da celebração. A versão naked cake faz sucesso e acompanha o tema rústico com perfeição.

3. Escolher itens de mesa que fiquem interessantes no ambiente

Outras inspirações e ideias para festa de noivado envolvem a mesa principal, onde é posicionado o bolo. É possível trocá-lo por uma torre com macarons ou uma de taças de champanhe, o que dá um toque elegante.

A fim de compor a mesa, dá para incluir porta-retratos com fotos do casal e pessoas importantes para a história dos dois. Também é interessante adicionar itens significativos. As iniciais dos noivos, decoradas com pérolas ou flores, ficam um charme e ainda podem enfeitar o lar após a festa.

Para as comemorações à noite, há a possibilidade de colocar velas em castiçais e criar pontos de luz, além de organizar as taças para o brinde. Ao encontrar com o vidro, a luz da vela dá um efeito lindo.

Palavras românticas também podem formar a mesa, assim como pétalas de flores e corações. Para o estilo rústico, vale deixar o material do móvel exposto ou apostar em uma bela toalha nas cores da decoração.

4. Investir em flores e plantas

As flores ajudam a criar um clima romântico e perfeito para a ocasião, portanto, investir nelas é uma ótima opção.

Sabe o primeiro buquê que foi dado, lá no começo do relacionamento? Que tal se inspirar nas flores dele para escolher as espécies da festa? Esse é um detalhe de recordação lindo e que, com certeza, será emocionante.

Quanto às cores, prefira flores no mesmo tom da decoração. Assim, os arranjos ficam incríveis e são posicionados na mesa do bolo ou nas individuais, se houver. A dica é produzi-los com uma altura que não prejudique a interação dos convidados. Além disso, dê preferência às flores da estação, já que elas precisam de menos cuidados e duram mais.

As plantas também são utilizadas nesse dia. Os amantes das suculentas podem colocá-las em arranjos com outras flores ou criar vasos só com elas.

5. Procurar lembrancinhas especiais

Para que os convidados guardem uma recordação carinhosa dessa data, vale a pena oferecer uma lembrancinha. Algumas ideias incluem:

  • bombons com as iniciais de vocês;
  • vasinhos com suculentas;
  • potinhos com balas nas cores favoritas do casal;
  • minibolo de casamento;
  • sementes para serem plantadas;
  • chaveiro personalizado.

Caso o convite para os padrinhos seja feito nesse dia, dá para aproveitar e entregar uma lembrancinha exclusiva como forma de agrado. Uma ótima ideia é apostar nos kits com pequenas garrafas de champanhe e taças ou nos personalizados, com os nomes dos escolhidos.

6. Escolher a iluminação e a decoração que combinem com o evento

Outro aspecto que precisa de atenção é a iluminação da festa, pois o ideal é que ela seja natural e intimista. De preferência, deve dar foco à mesa, utilizando luminárias ou spots direcionados para esse espaço. As velas, além de decorarem, também criam pontos de luz e um clima de romance, elas podem ser espalhadas pelo ambiente.

Quanto à decoração, o foco tem que estar em vocês, com tudo guiado pelo tema estabelecido. Uma sugestão é elaborar um mural com fotos de momentos importantes na trajetória do casal, desde quando eram crianças até se conhecerem e chegarem ao noivado.

As plaquinhas de lousa também ficam lindas sobre as mesas e permitem que vocês escrevam mensagens especiais, palavras carinhosas ou letras de música. Deixe a imaginação fluir!

O espaço atrás da mesa principal também precisa de cuidado, já que serve como plano de fundo para as fotos. A dica é criar um painel personalizado. Ele pode ser feito com fotos do casal, mensagens carinhosas dos familiares e amigos, um coração ou, até mesmo, com flores e plantas.

A hora de anunciar o casamento é uma ocasião muito especial e marca uma nova etapa no relacionamento. Além de todas essas ideias para festa de noivado, ainda é possível fazer a comemoração com o chá de panela. Se preferir assim, é importante elaborar a lista de presentes com uma empresa de confiança, como a La Ville. Ao contar com uma loja que entende do assunto e que está há anos no mercado, tudo sairá conforme o planejado e vocês poderão comemorar a futura união com muito amor.

Gostou do conteúdo? Que tal compartilhá-lo nas suas redes sociais para que os amigos que se casarão em breve possam se inspirar?

 

9 segredos para apostar na decoração indiana!

decoração indiana para sua casa

Você conhece os principais elementos que compõem a decoração indiana? Ela apresenta muitas opções na hora de compor um ambiente com harmonia e bom gosto. A variedade de possibilidades, com uma gama enorme de elementos, é um dos seus maiores atrativos.

De fato, é um tipo de décor que virou tendência e que conta com muita beleza e exotismo, evidenciados pela presença de incensos, velas e flores nos ambientes. Esses fatores encantam muitas pessoas que buscam novas ideias de decoração.

Aqueles que buscam inspiração nesse estilo, encontram na cultura oriental — com seus principais elementos, como cores, dourados e brilhos — muita originalidade. Confira neste post alguns segredos para investir nessa decoração que tanto fascina as pessoas!

Como se inspirar na decoração indiana?

É bem fácil buscar inspiração e apostar suas fichas nessa tendência, já que não faltam filmes e séries com muitas ideias e sugestões que vão povoar sua mente e servir de inspiração para decorar a sua casa.

A título de curiosidade, o estilo indiano se tornou popular mundialmente nos anos 1960 devido ao surgimento do movimento hippie que adotou seus elementos mais marcantes, como o colorido, o uso de incensos, o exotismo, entre outros.

No entanto, a utilização das características dessa cultura — composta por riqueza de detalhes — deixou de ser modismo e passou a ser tendência, virando estilo de decoração. Hoje, é um tipo de décor amplamente utilizado e já conquistou uma gama considerável de adeptos.

Quais são as dicas para investir na decoração indiana?

Veja a seguir algumas dicas essenciais para você investir nesse estilo de decoração.

1. Aposte nas cores

Cores quentes e vibrantes estão bem presentes na decoração indiana. Opções como rosa-choque, vermelho e azul-turquesa são tonalidades características desse estilo, mas como são muito estimulantes devem ser utilizadas com cuidado.

Outros tons muito usados na Índia são os terrosos e crus. Na verdade, são os obtidos por meio das especiarias, muito comuns por lá, como a canela, o açafrão e o curry. Além disso, o dourado não pode faltar e deve se adequar à estética dos ambientes de acordo com o gosto do morador.

Quem escolhe esse tipo de decoração, deve atentar-se ao que cada ambiente exige. Por exemplo, quartos requerem tonalidades menos berrantes e pouco brilho, já que são locais de descanso e quanto menos informações transmitirem, mais tranquilos e agradáveis serão.

2. Abuse das almofadas e mantas

A decoração indiana se encaixa bem nas salas, afinal, nesses ambientes é possível utilizar muitas almofadas — elemento decorativo característico e marcante desse estilo. Elas podem ser distribuídas sobre o sofá e tapetes, compondo um ambiente agradável e harmônico.

As mantas, por sua vez, também são acessórios imprescindíveis. As coloridas, com tonalidades de vermelho e terra são perfeitas e devem estar presentes nesse tipo de decoração. São ideais para alguns ambientes, como salas e quartos, e são utilizadas para cobrir camas, poltronas, sofás e mesas. Basta usar a criatividade para tornar o ambiente bonito e com boas energias.

3. Use velas para uma atmosfera mística

O uso de velas nos remete a um ambiente místico e misterioso. Por isso, se você optar por esse estilo, substitua, em alguns momentos, a luz pelas velas. Existe uma boa variedade do tipo decorativa, bem como castiçais em prata ou bronze que são mais adequados a esse décor.

Outra forma de utilizar velas é optar por instalar as flutuantes em recipientes de vidro transparentes que podem se localizar nas esquinas dos cômodos.

4. Aposte em incensos

O cheiro de incenso nos remete rapidamente a ambientes místicos e confere um astral agradável em casa. Por isso, abuse deles, escolha aromas agradáveis e opte por porta-incensos de madeira, metal ou prata.

5. Aproveite e diversidade de enfeites indianos

Para quem não gosta de mudanças drásticas na decoração, começar com enfeites que remetam a essa cultura já pode dar um toque especial no décor da casa. Existe uma grande variedade de objetos decorativos que compõem muito bem qualquer tipo de decoração, como as estátuas e os vasos.

6. Use flores

Flores enfeitam qualquer ambiente, não é mesmo? Na decoração indiana, elas não podem faltar. Vasos prateados ou dourados colocados em cantos de cômodos são ideais para compor ambientes ao estilo oriental. As flores mais indicadas para esse objetivo são as exóticas, como a flor de lótus.

7. Não esqueça do altar

Um altar dará ao espaço um ar mais misterioso e tem tudo a ver com essa decoração. Apesar de haver uma pluralidade de religiões, todos buscam o equilíbrio e um local tranquilo para recarregar as baterias. Um cantinho com imagens as quais você aprecia pode ser bem interessante, além de harmonizar com os demais espaços.

Para deixá-lo especial, utilize almofadas bem coloridas e confortáveis. Coloque também alguns objetos como vasos, flores, fotografias, entre outros.

8. Escolha móveis baixos

Uma decoração indiana tradicional utiliza móveis baixos. Essa característica dá a sensação de que o ambiente é maior. Para acompanhar esses móveis, costuma-se usar almofadas e futons e colocá-los diretos no chão. Para que não sujem é comum colocarem tablados, conhecidos como paletes, com 15 cm de altura para proteção desses objetos.

Outros móveis muito usados e típicos da cultura indiana são aqueles sem braços e sem cabeceira. Usados em quartos, eles ocupam menos espaço que os demais. Para o apoio de braços e cabeça são utilizadas almofadas de tamanhos variados.

9. Invista na madeira

A madeira é um material muito utilizado nessa tendência. Os tons são os mais claros e isso contribui para que o espaço ganhe mais amplitude. Em relação aos móveis baixos, que são muito utilizados na decoração na Índia, aqui são usados com um certo cuidado, misturando-os com móveis de tamanho convencional.

No entanto, se você quer uma decoração que siga totalmente a indiana, o ideal é utilizar as cores fortes e vibrantes, bem como os móveis baixos e outros detalhes que remetam a essa cultura oriental.

Quais são os itens utilizados na decoração indiana?

Confira alguns elementos decorativos que não podem faltar na decoração que segue esse estilo:

  • almofadas;
  • futons;
  • tapetes;
  • mantas;
  • incenso;
  • castiçais;
  • velas;
  • biombos;
  • vasos dourados;
  • móveis de madeira, entre outros.

Como você conferiu neste post, é possível seguir a decoração indiana, no entanto, alguns cuidados devem ser tomados para evitar exageros. O ideal é mesclar alguns elementos que remetam à cultura indiana e que isso agregue valor e beleza ao décor de sua casa.

Gostou deste post? O que achou desse tipo de decoração? Bem exótica, não é mesmo? Compartilhe, então, este texto com seus amigos nas suas redes sociais!

Guia completo sobre como preparar um bom café

como preparar um bom café - cappucino

Depois da água, você sabe qual é a bebida mais consumida do Brasil? Isso mesmo: o café. O grão é apreciado de várias formas e sabores, além de trazer diversos benefícios para a saúde. Então, aprender como preparar um bom café é essencial.

Você não precisa ser barista ou especialista no tema, mas alguns truques são de grande ajuda. Com as técnicas certas, dá para conquistar uma xícara quentinha, repleta de sabor e que cai bem em vários momentos.

Quer descobrir como preparar um bom café? Continue a leitura e aprenda como ter os melhores resultados!

Quais os benefícios do café?

Além de muito saboroso, o café pode ser um grande aliado para a sua saúde. Quando bem trabalhado, o grão oferece propriedades que ajudam a conquistar mais qualidade de vida. Que tal entender como essa bebida é poderosa? Veja quais são as maiores vantagens do café!

Estimula seu corpo do jeito certo

Um dos principais componentes é a cafeína. Essa substância tem grande poder estimulante e é capaz de fazer, por exemplo, com que o seu cérebro trabalhe mais rapidamente. A substância também acelera o metabolismo e pode ajudar a perder peso de forma natural!

Protege o corpo e retarda o envelhecimento

Pode não parecer, mas a bebida é repleta de nutrientes. Muitos têm ação antioxidante, que eliminam os radicais livres. Essa ação evita a degeneração das células, protege o corpo e ainda reduz os impactos do envelhecimento precoce.

Aumenta a sensação de prazer

Se o seu dia começa mais feliz após beber uma xícara de café, isso tem explicação. O consumo da bebida libera dopamina, conhecida como “substância do prazer”. Esse componente melhora o humor, ajuda a combater a depressão e até diminui o risco de doenças degenerativas, como as de Parkinson e Alzheimer.

Fortalece o coração

Acredite se quiser, mas seu sistema cardíaco também fica mais protegido com o café. Com quatro doses diárias, é possível melhorar o bombeamento de sangue e diminuir os riscos de insuficiência cardíaca.

Desde que seja consumido com moderação, a bebida oferece esses e muitos outros benefícios, como redução de riscos de diabetes e atuação diurética para limpar o organismo. Que tal aproveitar?

Quais são os principais tipos de café?

Outra grande vantagem dessa bebida é que ela aparece de várias formas. Há, por exemplo, uma grande possibilidade de grãos.

A variedade arábica é a consumida com maior intensidade, embora seja o mais “leve”. Mesmo esse tipo se divide em vários, como o bourbon, que é equilibrado, e o kona, exótico e havaiano. Já o robusta é mais forte que o arábica, enquanto o libérica é muito raro. Ao misturar vários grãos, dá para criar o blend perfeito.

Além disso, há vários tipos de café quanto à preparação. Então, depois de escolher o grão certo, que tal conhecer algumas possibilidades? Confira!

Expresso

Muito consumido, é composto apenas pela bebida principal, sem aditivos. A parte de cima tem uma espuminha, mas que vem do próprio grão ao receber água pressurizada.

Café com leite

Bastante popular no Brasil, é composto por partes iguais de leite e café. Se o café estiver em menor proporção, é chamado de “pingado”.

Latte

Conhecido no Brasil como média, esse tipo tem café, leite vaporizado e um pouco de espuma de leite.

Cappuccino

Quase igual ao latte, essa possibilidade só se diferencia por ter proporções iguais dos três componentes. É muito cremoso e pode ter um toque de chocolate.

Mocha

E por falar no produto do cacau, o mocha logo aparece. Ele tem uma base de calda de chocolate, coberta por café, leite e um toque de espuma de leite.

Há outras variedades menos comuns e até as geladas (como o frapê feito com café), além da opção que traz o grão moído na hora e que apresenta bastante frescor.

Quais são os melhores truques para fazer café?

Para saber como preparar um bom café, nada melhor que ter uns truques que realmente funcionam, certo? Graças a eles, dá para conseguir um resultado mais saboroso e ainda diminuir o tempo necessário para fazer a sua bebida.

Alguns truques, inclusive, são usados por baristas experientes. Já pensou poder fazer a sua xícara com sabor profissional? Pois isso é possível! Para tanto, veja alguns macetes para arrasar no preparo!

Use os grãos ou o pó ideal

Não adianta fazer tudo certo se você errar logo na seleção do grão que vai dar origem à bebida, certo? Então, uma das dicas é escolher corretamente o produto. Caso decida pelo pó, opte por uma marca de qualidade, com sabor na medida certa e com o blend adequado. Hoje, já é possível encontrar várias composições, feitas com grãos e técnicas diferentes.

Se quiser aproveitar todo o aroma e o “frescor”, então o melhor é usar o café moído na hora. Há utensílios para casa que fazem essa tarefa em poucos segundos e garantem que você tenha uma bebida ainda mais intensa e saborosa. Escolha o que fizer sentido para o seu gosto!

Tenha cuidado com a procedência da água

Sabe aquela ideia de utilizar a água da torneira porque, após ferver, ela estará apta ao consumo? Essa não é a melhor decisão se quiser entender como preparar um bom café. Mesmo que o líquido esteja pronto para o consumo após a fervura, ele deixará um gosto residual e que afeta o café.

Então, o ideal é adotar a filtrada, como as de garrafas. Nem a da porta da geladeira é indicada, pois pode pegar cheiro. Com uma boa procedência, você vai valorizar ao máximo o gosto desse grão tão famoso.

Fuja da fervura

Um truque que muita gente desconhece consiste em evitar que a água ferva. Isso mesmo! Em vez de esperar as grandes bolhas e o vapor que sai da chaleira, o melhor é usá-la um pouco menos quente. Quando as primeiras bolhas pequenas se formarem, já é o suficiente.

Essa dica é importante para evitar que o café queime. Isso porque quando a água ferve, é sinal que ultrapassou os 100 °C. Com as bolhas e o vapor eliminado, o oxigênio se vai. Se o líquido entrar em contato com os grãos ou com o pó, a bebida acaba ficando amarga. Para evitar o problema, deixe que a água ferva apenas até 90 °C. Se for preciso, use um termômetro culinário para ter certeza da medida.

Escolha o coador correto

Outro elemento que também influencia o sabor da bebida é o coador. Ele é essencial para filtrar os grãos e o pó, mas pode afetar o gosto do café e deixá-lo com um sabor meio amargo.

O de pano e o de papel têm características semelhantes, mas precisam estar limpos antes de ter a água quente despejada. No caso do item de pano, tome cuidado para escaldá-lo antes da preparação e faça a troca, de acordo com a vida útil. Mais adiante, explicamos com mais detalhes as diferenças de cada tipo de coador.

Acerte nas medidas

Com toda a “estrutura” pronta, chegou a hora de adicionar a água e o grão para obter uma xícara quentinha e saborosa. Acertar nas medidas é essencial para evitar uma preparação rala, bem como para impedir que ele fique com um sabor muito forte.

O recomendado é utilizar de 5 a 6 colheres de sopa de pó ou grãos para cada litro. Já os especialistas usam de forma mais precisa: 10 gramas do produto para cada 100 ml de água. Para não ter dúvidas, o uso de uma balança vai ajudar.

Ao mesmo tempo, não desconsidere que cada grão e cada blend tem uma característica. Se possível, faça um pequeno teste, com apenas 100 ml de água, para saber qual é a medida ideal ao seu paladar.

Tome cuidado com o açúcar

Para os especialistas, adoçar o café é como cortar massa na Itália: praticamente um crime. A ideia é que o sabor da bebida já basta, assim como a presença de espuma ou leite vaporizado. No cotidiano, entretanto, é comum querer adoçar — e tudo bem!

O único ponto de atenção é que você não deve fazer isso já na preparação. Tem gente que usa água adoçada para passar o café, mas esse é um erro grave. O melhor mesmo é usar a versão pura e só depois adoçar como preferir. Do contrário, não dá para ter controle sobre o resultado que vai surgir na xícara.

Coador de pano x filtro de papel: qual o melhor?

Como deu para ver, o coador tem um papel muito importante para garantir um sabor agradável para a bebida. Entre as opções mais famosas no Brasil, estão a versão descartável de papel e a de pano. Elas parecem bem diferentes, mas têm algumas semelhanças e pontos de atenção.

Para não ter dúvidas na hora de escolher, o melhor mesmo é saber como cada tipo funciona. Continue a leitura e descubra as diferenças de fazer café neles!

O coador de pano

O café é uma bebida tradicional do Brasil e, como tal, já foi preparado com métodos que não eram nada tecnológicos. Um dos itens que resistiu ao tempo foi o filtro de pano. Ele tem uma estrutura metálica de apoio e uma fibra natural, por onde o líquido passa e filtra as partículas.

Como não tem corante ou qualquer aditivo, não é capaz de prejudicar o paladar. Também é uma escolha afetiva e que fez parte da infância de muita gente. Por outro lado, ele exige uma higienização contínua, já que qualquer resíduo atrapalha o sabor do próximo café a ser coado.

O coador de papel

Já o filtro de papel é feito com fibras de celulose e não conta com corante ou elementos que interfiram no sabor. No entanto, muita gente reclama que ele tem gosto e aroma de papel tradicional, então, é comum usar um pouco de água quente para eliminar essas características.

Por um lado, ele é prático, já que funciona no esquema “usou, descartou”. Porém, também vai absorver parte das qualidades que deixam o café robusto e espesso. Então, é preciso considerar isso antes de escolher a opção.

Como ele permite que menos partículas passem, ao compará-lo com o de pano, ajuda a criar um produto com sabor intenso. Se você é do time que ama a bebida forte, essa alternativa é atraente.

Qual é o melhor?

Teoricamente, os dois filtram em capacidades semelhantes e não alteram o sabor, quando limpos. O filtro de pano, entretanto, exige um cuidado extra com a limpeza por meio do uso de água e o escalde, antes de passar a bebida. Já o descartável é mais prático, mas gera uma quantidade maior de lixo, enquanto o de pano pode ser trocado duas vezes por mês.

A escolha entre eles depende do seu gosto e do que parece adequado ao seu cotidiano. O importante é sempre garantir que o grão possa ter o “impacto” apenas da água quente, para não ter o sabor alterado.

Como preparar café na máquina?

Até aqui, você já entende como preparar um bom café de forma “manual”. Mas sabia que também é preciso ter alguns cuidados ao utilizar a máquina? Pode até parecer que esse é um daqueles eletrodomésticos para cozinha que faz tudo sozinho, mas não é bem assim.

Com os cuidados certos, dá para obter a melhor bebida de um jeito prático e repleto de opções. Para tanto, saiba como preparar um ótimo café na máquina!

Monte a cafeteira corretamente

O processo de como preparar um bom café na cafeteira é semelhante ao modelo tradicional. Você precisa começar posicionando o coador, que pode ser de pano ou de papel. De qualquer forma, deve ser do tamanho exato da área, para garantir a filtragem adequada.

Em seguida, adicione água filtrada no compartimento, na quantidade desejada. No outro lado, dentro do filtro, coloque o café ou grão moído na hora. Acione a máquina e espere alguns minutos até que tudo esteja finalizado.

Escolha a cápsula ideal

Já se a sua cafeteira for do tipo de cápsulas, o processo é ainda mais simples. Encha o reservatório com água mineral, ligue a máquina e espere que o líquido fique aquecido. Diante do sinal do eletrodoméstico, adicione a cápsula desejada na posição correta e feche o controle indicado. Em alguns instantes, você terá um café expresso, um cappuccino ou outro tipo em sua xícara.

Não exagere na quantidade

O café só fica adequado para consumo por, no máximo, 1 hora. Se não pretende tomar grandes xícaras, o melhor é evitar fazer uma quantidade muito elevada. Normalmente, as cafeteiras apresentam gradações, como para uma, duas ou várias xícaras. Então, escolha a que for indicada para cada caso. Dessa maneira, você não corre o risco de ter que jogar fora uma jarra quase completa por ter pesado a mão.

Como adoçar o café?

Não importa se tiver preparado a bebida manualmente ou na cafeteira. Após ela chegar à xícara, é normal desejar torná-la um pouco mais doce. Afinal, paladares diferentes têm gostos específicos, e o melhor é poder apreciá-la do jeito que você gosta, certo?

Como deu para ver, adoçar a água do preparo não é o caminho. Já que esse processo acontece depois que ele estiver pronto, há algumas dicas para considerar. Quer saber quais são? Confira!

Construa o sabor aos poucos

Com certeza já viu alguém que despeja um saquinho de açúcar no café sem pensar duas vezes. Ou mesmo quem tira várias colheres do açucareiro antes de provar o sabor. A ideia parece prática, mas não é a solução ideal, afinal, corre-se o risco de ficar com um café doce demais.

Para evitar isso, é melhor construir o sabor aos poucos. Adoce um pouquinho e prove logo em seguida. Assim, você controla o sabor e não termina com uma bebida com paladar distorcido.

Utilize opções saudáveis e deliciosas

Sabia que não é preciso depender apenas do açúcar refinado e do adoçante? Há muitas formas de adicionar um gostinho extra à bebida — e o melhor: de maneira saudável.

O mel é um adoçante natural, com ótimas propriedades e que inclui uma cremosidade especial. Já a baunilha dá um toque doce e muito gostoso, enquanto o açúcar mascavo é repleto de personalidade. Você pode apostar em mexer com um pauzinho de canela, adicionar açúcar de coco e o famoso adoçante natural stévia. Não faltam escolhas!

Aposte nos complementos

Ainda há complementos que, é verdade, não são tão saudáveis, mas ajudam a criar sabores. Em vez de adoçar a bebida diretamente, você pode investir em um pouco de chantilly. O creme doce balanceará o sabor e chegará a um equilíbrio. O mesmo vale para usar chocolate, canela e outros complementos.

Só tome cuidado para não pesar na escolha. Lembre-se de que saber como preparar um bom café inclui valorizar o sabor natural em todas as etapas!

Como preparar a mesa para o café?

Já pensou poder acordar e ter uma bela mesa de café da manhã, digna das novelas e dos filmes? Pois isso é possível e sem muito esforço! Basta descobrir como montar um espaço que faça jus à deliciosa bebida que você preparou.

Que tal saber como fazer as melhores escolhas? Veja algumas dicas para acertar em cheio na montagem!

Opte pelo complemento certo para a mesa

Não cometa o erro de colocar tudo diretamente na mesa. Para dar um toque diferente, você pode investir em jogo americano ou toalha de mesa — o que preferir.

A dica é apostar em peças de qualidade, com bom acabamento e características interessantes. Uma versão estampada, por exemplo, torna a mesa alegre e pronta para começar o dia. Já se quiser algo sóbrio, pode investir em cores sólidas e deixar os detalhes para outros itens da mesa.

Aposte em louças e acessórios bonitos

Outro truque consiste em usar um aparelho de jantar bem bonito, assim como os talheres. Louças bonitas complementam o jogo americano ou a toalha e ajudam a criar um visual bem interessante. Garanta que as cores ou estampas combinem com o que já está sobre a mesa e que sejam padronizadas para todos os lugares.

Além disso, os outros acessórios precisam ser igualmente bonitos. Uma travessa, por exemplo, tem que ter detalhes interessantes e que conversem com os outros itens. O mesmo vale para pratos de bolos, cesta de pães, guardanapos e assim por diante.

Capriche na variedade

Para deixar a mesa ainda mais bonita e de encher os olhos, disponha as opções preferidas para o consumo. Depois de aprender como preparar um bom café e colocá-lo sobre a mesa, não se esqueça de pães, frios, laticínios e frutas.

Uma mesa colorida, cheia de texturas, sabores e aromas enche os olhos para a refeição mais importante do dia. Capriche para conseguir o melhor resultado, mas só use o que realmente é consumido.

Use elementos decorativos

Com esses elementos, a mesa de café já estará funcional. Mas para que fique pronta ainda é preciso cuidar dos detalhes finais de decoração.

As flores, por exemplo, trazem um toque natural, cores e aromas. Você também pode apostar em pequenos objetos decorativos, como centros de mesa, vasos, velas, prendedores de guardanapo, taças decorativas e assim por diante. O resultado ficará incrível!

Onde servir o café?

Tão importante quanto descobrir como preparar um bom café é saber onde servi-lo. Afinal, ele precisa ser apreciado do jeito certo para que a sua dedicação tenha valido a pena, não é mesmo?

Quanto aos materiais, prefira os que conservam a temperatura, como a cerâmica e o vidro térmico. Em relação ao visual, opte por aqueles que trazem cores e padronagens que combinem com a disposição da mesa. Mas o mais importante mesmo é o formato. Então, veja quais são as melhores para cada caso!

Redondas

Como o expresso é um café encorpado, ele é muito sensível à geometria. Se encontrar barreiras, perde a cremosidade por não conseguir se “espalhar” corretamente. Para que isso não aconteça, opte pela xícara de base redonda.

Ela é mais homogênea e vai deixar a sua bebida saborosa e pronta para ser consumida da melhor forma.

Boca larga

Já se quiser uma alternativa bem versátil e que funciona para quase todos os casos, o ideal é a de boca larga. A base é arredondada, mas menor que a área onde posicionamos os lábios. Ela é conhecida como xícara de chá e deixa que o aroma seja apreciado. Mas como não é exclusiva para essa bebida, tome cuidado para que ela não esfrie.

Cilíndrica

A xícara cilíndrica é muito famosa e serve para quem deseja beber um café coado tradicional. Do material certo, ela ajuda a manter a temperatura e a experiência. Mas fique de olho: para outros tipos, ela pode não ser a indicada, então tenha mais de um grupo na sua cristaleira de vidro.

Ao aprender como preparar um bom café, você conseguirá aproveitar ao máximo esse grão tão popular. E já que são vários os tipos, não deixe de adquirir — ou pedir em sua lista de casamento — vários tipos de xícaras. Associadas a outras peças de cozinha, dá para criar a mesa perfeita!

Gostou de aprender tanta coisa? Curta a nossa página no Facebook e tenha muitas outras dicas e truques para a casa!