decoração para sala de jantar mais moderno

Decoração para sala de jantar: veja como decorar com luxo e estilo!

A sala de jantar é um cômodo importante em qualquer lar, mas que nem sempre recebe a atenção que merece. É nesse espaço em que as refeições são feitas e que amigos e familiares podem continuar a se divertir por muitas horas. Para garantir o máximo de conforto e uma boa experiência, a decoração para sala de jantar tem que ser levada em conta.

Ela deve transmitir a sensação certa e conquistar um toque especial, inclusive com o aparelho de jantar. Isso pode não ser simples diante de tantas opções decorativas, não é mesmo? Porém, com escolhas de luxo e estilo, é possível criar um visual impressionante. Ao final, ficar nesse ambiente será ainda melhor e mais divertido!

Quer saber como conquistar o resultado perfeito? Então veja tudo sobre a decoração para sala de jantar!

O que considerar no momento da decoração?

Para criar o cômodo ideal, é preciso ter sempre em mente o propósito dessa sala. Antes de decorá-la, não se esqueça do fato que ela deve ser prática, funcional e atender a necessidades específicas.

Na hora de partir para a compra dos itens que serão apresentados, é recomendado considerar alguns aspectos principais. Entre eles, estão:

Estilo do ambiente

Móveis de madeira crua funcionarão muito bem em salas rústicas, mas talvez não sejam adequados para quem deseja transmitir uma ideia clean e minimalista. O mesmo vale para objetos de acrílico transparente: as peças são perfeitas para uma pegada moderna, mas não funciona para uma vintage.

Antes de fazer qualquer escolha, portanto, é o momento de pensar no estilo da decoração. Considere qual é a sensação que será transmitida e como isso se conecta com os elementos que serão comprados. Ao final, é possível obter um efeito dentro da proposta esperada.

Tamanho do cômodo

Outro fator que tem que peso na decisão é o tamanho do cômodo. Salas pequenas precisam de uma otimização extra para o espaço ser funcional. Já uma com proporções generosas exigirá uma composição que a preencha, mas sem criar confusão.

O tamanho ainda servirá para planejar a disposição dos elementos e como tudo será usado. Sem entender o que cabe nas dimensões e como elas devem ser aproveitadas, a decoração para sala de jantar fica comprometida.

Espaço de circulação

Em um ambiente como esse, o corredor de circulação é um dos elementos muito importantes. Afinal, é necessário criar corredores para que as pessoas possam passar livremente, mesmo quando todas as cadeiras estiverem em uso.

Também é preciso se preocupar com o conforto dos convidados. Escolher uma mesa repleta de cadeiras pode parecer ótimo, mas se revelar desconfortável pela proximidade entre as pessoas. Então, respeite os espaços mínimos entre os elementos, de modo a criar a livre circulação.

Integração com outras áreas

Imagine uma sala de jantar que é conjugada à de estar. Por mais que sejam ambientes separados, esses cômodos estão conectados. Nesse cenário, é preciso tomar cuidado para não criar composições completamente distintas. O mesmo vale para quando existe integração com a cozinha.

Nesses casos, a decoração deverá ser planejada de forma complementar — e não concorrente. Desse jeito, há como estabelecer um visual incrível e que não traga sensações conflitantes.

Personalidade dos moradores

Não menos importante, a decoração para sala de jantar tem que se relacionar ao estilo, aos gostos e à personalidade dos moradores. Não adianta criar um espaço perfeito, mas que não diz quem você é.

No meio de tantas escolhas e tendências de decoração, não se esqueça de sempre considerar o que você gosta e quais são as suas preferências. Isso criará um resultado muito autêntico e oferecerá a sensação certa para todos que estiverem no lugar.

Quais elementos compõem uma sala de jantar e para que servem?

Por causa da sua função, a decoração para sala de jantar tem que conter alguns itens obrigatórios. Além de serem voltados para o visual, eles são úteis e indispensáveis. Assim, dá para garantir que o lugar seja usado da melhor maneira, dentro da sua proposta. A seguir, conheça alguns elementos que não devem ficar de fora e entenda sua função.

Mesa

Quando se fala no ambiente para fazer refeições, é impossível ignorar a necessidade de ter uma bela mesa. Considerada o ponto central, é ao seu redor que todos se reúnem e podem aproveitar as diversas delícias — afinal, essa é a sua principal função.

As mesas retangulares são clássicas, enquanto as quadradas têm um quê de modernidade. As redondas, além de trazerem um visual diferenciado, são ideais para aumentar a capacidade sem usar mais espaço que o necessário.

Além disso, há escolhas quanto aos materiais. A de madeira é clássica, enquanto a com tampo de vidro dá um ar robusto e refinado. Ainda há aquelas com características especiais, como com tampo de pedra. Como surgem em várias cores, conseguem se adaptar ao ambiente.

Cadeiras

Não existe mesa de jantar realmente funcional se não estiver aliada às cadeiras. Elas servem para acomodar e trazer conforto e devem ser escolhidas do jeito certo. Do contrário, pode ser difícil ficar sentado no espaço por um longo período.

As cadeiras de madeira, em geral, aparecem estofadas. São clássicas e muito confortáveis, o que garante uma ótima experiência. Há, ainda, aquelas sem forro nas costas ou em nenhum ponto. Apesar de serem modernas, podem ser um pouco incômodas.

As cadeiras de metal trazem um ar provençal, enquanto as de acrílico são as opções mais contemporâneas. Em todos os casos, tenha a certeza de que elas são agradáveis.

Jogo de mesa

Para ser realmente funcional, a mesa de jantar precisa de jogos específicos. A toalha é uma escolha interessante para compor o ambiente de um jeito extra. No entanto, deve ser muito bem selecionada para não empobrecer a decoração de luxo.

Os jogos americanos, por outro lado, são ainda melhores. Individuais, ajudam a garantir conforto na refeição e valorizam o aspecto da mesa e dos aparelhos de jantar. Para ter um resultado incrível, vale a pena ter vários jogos e variá-los de acordo com a ocasião.

Lustre

Nem todo mundo percebe, mas o lustre também tem que fazer parte da decoração para sala de jantar. Esse elemento é responsável por realizar a iluminação direcionada e que oferece o máximo conforto.

O lustre, em si, é uma escolha clássica e traz um ar refinado. Já o no estilo plafon é moderno por ser aplicado no teto, sem deixar as lâmpadas expostas. Para quem deseja um ar contemporâneo, os pendentes são uma verdadeira febre entre diversos projetos.

Móveis de suporte

Dependendo do tamanho do ambiente, ainda é preciso pensar em usar móveis de apoio. Eles complementam a decoração e, principalmente, ajudam a garantir uma utilidade extra para o espaço.

O aparador é bastante usado e conhecido por ter uma altura mediana. Além de servir para abrigar jogos americanos e outros itens importantes, dá um toque extra à decoração para sala de jantar. Já a cristaleira é maior e muito clássica. É posicionada estrategicamente e conta com jogos de taças, pratos, copos e até talheres. Quando tem a porta de vidro, dá um charme por exibir as peças.

Como deve ser a iluminação de uma sala de jantar?

A iluminação é um dos aspectos mais importantes em qualquer ambiente. Sem os devidos cuidados, o local apresenta sombras, pontos cegos e um visual muito menos atraente. Já que a intenção é unir luxo e estilo, esse erro tem que ser evitado.

Na sala de jantar, há alguns truques que ajudam a obter o efeito certo. Para saber como deve ser a iluminação ideal, continue a leitura e descubra.

Posicione uma luminária sobre a mesa

Imagine elaborar um prato lindo, rico em sabor e com uma apresentação magnífica. Na hora de servir, os convidados não notam o seu cuidado porque a iluminação não é adequada. Como as pessoas também comem com os olhos, o resultado será menos interessante, certo?

Então, é fundamental contar com uma luminária sobre a mesa. Se ela for muito longa, é o caso de se pensar em ter mais de um elemento. Isso servirá para compor um aspecto de meia luz, mas sem comprometer o visual das delícias preparadas.

Escolha a intensidade e a cor da lâmpada

Ao mesmo tempo em que é importante ter uma luminária sobre a mesa, é preciso tomar cuidado com o ofuscamento. Isso acontece quando a lâmpada é muito forte e cria um reflexo desagradável na mesa, nos pratos ou nos acessórios. Acima de tudo, é algo que pode causar até um desconforto na visão das pessoas. Para isso não acontecer, o melhor é investir em uma lâmpada de intensidade moderada ou mesmo que possa ser controlada.

Quanto à cor, o ideal é evitar a lâmpada branca. Em uma alternativa tão direcionada, talvez ela não fique tão interessante e dê um aspecto “chapado” ao visual. No lugar, lâmpadas quentes, como as amarelas, trazem uma sensação extra de aconchego e conforto.

Tenha luminárias que combinem com o ambiente

Agora que você já sabe onde e como usar a luminária, é essencial pensar na escolha da aparência. É indispensável que a ela combine com a decoração para sala de jantar ou todo o visual pode ser arruinado.

Imagine que você deseja criar algo muito moderno e, ao final, escolhe um lustre ou pendente rústico. Ou, então, seleciona uma peça com cores que não combinam em nada com o ambiente. É a receita para o desastre, não é? Então, o melhor é pensar nas peças cujo estilo está alinhado com a proposta do cômodo.

Aposte na versatilidade

Há dias em que a iluminação do ambiente precisa ser mais forte e, em outros, um clima romântico é o ideal. Para atender a essas necessidades, o melhor é ter um projeto bem versátil e que se adapte às exigências.

É o caso de ter vários conjuntos de pendentes, em que cada um possa ser acionado de forma independente. Assim, é possível selecionar o total das lâmpadas e como elas serão aplicadas. Outra sugestão inclui substituir o interruptor por um dimmer. Ao variar a intensidade da luz, será viável criar aspectos diferentes para o local.

Quais as cores mais adequadas para o ambiente?

Além dos elementos, é fundamental se preocupar com as cores que serão usadas no espaço. As nuances certas fazem a diferença no resultado e garantem que todo o visual fique alinhado.

Para acertar na escolha, tudo depende do estilo desejado e das características do ambiente. Saiba como fazer as melhores escolhas e tire as suas dúvidas.

Tons claros

À prova de erros, as nuances claras são ideais para criar um visual de luxo e com excelente sensação de amplitude. O branco, o creme e o cinza-claro são alternativas preferenciais e que funcionam em quase todos os estilos.

Essas cores são adequadas para as paredes de quem deseja optar por móveis coloridos, como cadeiras com forro estampado ou mesa com pedra colorida. Também auxiliam a compor ambientes menores, já que dão a ideia de continuidade e de lugar maior.

Tons terrosos

Para quem deseja criar um aspecto rústico e acolhedor, os tons terrosos são as melhores escolhas. Essas opções elaboram aquela sensação de acolhimento, ao mesmo tempo em que fazem com que você se sinta no campo.

A madeira escura é ideal para criar uma aparência de sobriedade, enquanto as mais claras trazem maior leveza. Entre as cores, estão o marrom, o caramelo, o laranja e a terracota. Nuances de verde e verde-musgo dão uma ideia extra em relação à natureza.

Tons pastéis

Já as nuances claras, como amarelo, verde ou azul pastel, são ideais para dar um toque delicado e quase vintage na decoração para sala de jantar. As cores podem aparecer nas paredes e, frequentemente, nos móveis.

É um jeito de trazer um ar divertido ao ambiente, mas sem exagerar. Como os tons são claros, é mais fácil combiná-los. Ao mesmo tempo, permitem sair do tradicional do branco ou do bege.

Tons escuros

Já as cores escuras imprimem personalidade e, dependendo do caso, sobriedade ao ambiente. Escolher uma mesa preta traz um aspecto robusto e cheio de autenticidade, já que é uma escolha pouco usual. Também é possível variar e optar por alternativas como roxo, vinho, azul-escuro ou verde intenso.

Os tons aparecem em várias possibilidades. Além de estarem nos móveis, surgem nos pendentes. Esse é um jeito prático de decorar, sem perder a neutralidade em outros pontos. Ainda dá para fazer apenas uma parede com tom forte.

Para não prejudicar o espaço, evite tons muito fechados ou em grande quantidade em locais pequenos e/ou pouco iluminados. Se não, há o risco de criar um clima claustrofóbico.

Como decorar o ambiente?

Depois de avaliar todos esses aspectos, chegou a hora de decorar o local. Para conseguir uma finalização impecável, é preciso tomar cuidado com alguns fatores. Além de adquirir os itens certos e de selecionar as cores ideais, pense em como compor o cômodo para que ele seja bonito e funcional.

Não sabe por onde começar? Não se preocupe! A seguir, você verá como criar a decoração para sala de jantar de um jeito infalível:

Acerte no tamanho dos elementos

Em qualquer ambiente, acertar no tamanho das peças é essencial para favorecer o senso de proporção e a estética. No caso da sala de jantar, é ainda mais importante tomar cuidado com isso.

Uma mesa pequena poderá ficar desproporcional ao espaço e prejudicará a experiência na hora de receber convidados. Por outro lado, uma muito grande atravanca o caminho e torna mais difícil se locomover no ambiente. Também é preciso tomar cuidado com o aparador, a cristaleira e assim por diante.

Não se esqueça da regra do corredor de circulação e escolha uma mesa de forma a criar uma composição usável e bonita. Assim, você não gastará dinheiro à toa e terá o visual desejado.

Preze pelo conforto

Na hora de dispor tudo no cômodo, é preciso pensar no conforto — antes mesmo de considerar o luxo. Se o espaço for pequeno, criar um canto alemão pode ser a melhor saída. Nesse caso, ele deve combinar com a mesa e com as cadeiras, por exemplo.

Também é preciso pensar nos outros elementos, como o tapete ou a cortina. Eles devem ser bonitos, mas têm que ser fáceis de limpar e não acumular sujeira facilmente. Quanto às cadeiras, o design inovador nem sempre vence aquela alternativa confortável — então, fique de olho. Ao final, é possível criar uma decoração para sala de estar aconchegante, bonita e que acerta em cheio!

Escolha itens de qualidade

Do jogo americano ou toalha de mesa às cadeiras, é fundamental que todos os itens tenham qualidade. Em primeiro lugar, é algo que ajuda a garantir a durabilidade dos elementos e o melhor investimento do seu dinheiro.

Além disso, para criar uma decoração para sala de jantar com luxo e estilo, é preciso que as opções deixem transparecer a mensagem certa. Ao fazer escolhas de alta qualidade, é mais fácil conquistar o aspecto desejado, longe de erros.

Não tenha medo de ousar

A sala de jantar é um ambiente clássico, familiar e muito acolhedor. No entanto, não significa que não possa receber um toque de ousadia. Se a sua personalidade também conta na hora de decorar, você pode — e deve — sair do convencional para trazer autenticidade.

Se quiser utilizar um tom mais forte, como ao comprar um aparador amarelo, não é preciso ignorar esse desejo. A dica é apostar no equilíbrio e criar pontos de destaque com uma base neutra. Assim, você terá total satisfação com o efeito obtido.

Quais acessórios não podem faltar?

Além dos elementos indispensáveis, há alguns acessórios para a mesa de jantar e para o cômodo que devem fazer parte da decoração para sala de jantar. Ao usá-los da forma correta, é possível criar um espaço cheio de vida e com ótimas qualidades.

Tem curiosidade para saber quais são esses elementos? Descubra a seguir o que não deve faltar!

Espelhos

Os espelhos são um excelente truque para ampliar o ambiente. Como “multiplicam” a imagem e favorecem a reflexão da luz, fazem com que o espaço pareça maior do que, efetivamente, é.

Outro lado positivo é que o espelho aparece em vários estilos. Um com uma bela moldura em madeira tem um ar rústico, enquanto composições divertidas trazem um toque moderno. Opte por posicioná-lo em um ponto focal do lugar, de modo a deixar o cômodo ainda mais arejado.

Vasos

De flores ou plantas, os vasos e cachepots ajudam a compor o visual da decoração para sala de estar. Como trazem um toque colorido e natural ao ambiente, fortalecem a sensação de aconchego e bem-estar.

Esses elementos podem surgir em vários espaços. É possível ter um belo vaso no canto, com uma planta alta e robusta. Da mesma forma, é viável ter um belo cachepot no aparador ou sobre a mesa. Apenas tome cuidado com as flores naturais, pois o perfume pode incomodar os convidados e até interferir no sabor da refeição.

Velas e castiçais

Se quiser dar um ar romântico e com um toque especial para a iluminação, as velas e os castiçais são muito bem-vindos. Esses elementos dão um ar de luxo à decoração e fazem com que o ambiente se destaque do jeito certo.

As velas podem ser dispostas no centro da mesa, como composição do espaço, ou nos aparadores e móveis de apoio. Os candelabros aparecem em vários estilos, desde uma pegada medieval até algo moderno e funcional. Em todos os casos, apenas tome cuidado com tecidos leves e evite velas com perfume intenso.

Obras de arte

Para complementar a decoração para sala de jantar com aspecto luxuoso, nada melhor do que incluir alguns elementos de arte. Se quiser caprichar de verdade, é possível adquirir uma bela tela ou um painel para a parede livre. Acima do aparador, por exemplo, a peça ganhará destaque.

Também há a alternativa de usar quadros menores, como em uma grande composição. Para os amantes da fotografia, vale selecionar os melhores retratos dos pontos turísticos da última viagem ou adquirir uma peça fotográfica.

Ainda é viável investir em esculturas e até em peças exclusivas. Um lustre diferenciado e feito por um design famoso é, de certa forma, uma peça de arte. Assim, dá para garantir o luxo em todos os detalhes.

A decoração para sala de jantar tem que ser planejada com cuidado para oferecer o melhor resultado. Ao seguir essas dicas, você terá um efeito que inclui luxo, estilo e muita autenticidade.

Como esse ambiente tem tudo a ver com o espaço onde as refeições são preparadas, veja como montar uma cozinha com um guia completo!

exemplo de como dividir ambientes como cozinha e sala

Aprenda como dividir ambientes unindo conforto e elegância

A decoração de uma casa deve estar sempre em harmonia com as funcionalidades e os hábitos dos moradores, trazendo soluções que sejam não apenas estéticas, mas de forma a contribuir para o bem-estar geral. Seja na hora de construir ou de reformar o lar, dividir ambientes é uma tarefa que exige conhecimento técnico e bastante criatividade.

As divisórias são utilizadas, geralmente, para definir melhor os espaços da casa ou para integrar cômodos diferentes — como sala e cozinha —, de forma sutil e elegante. Seja qual for a intenção dos residentes, a dica é não economizar na pesquisa e descobrir as inúmeras possibilidades de formas na hora de planejar os ambientes.

Por isso, preparamos o artigo com algumas soluções incríveis e modernas para dividir ambientes em sua casa e, ainda, para que você descubra como projetar os nichos da melhor forma possível. Continue a leitura e confira nossas dicas!

Funções, gostos e estilos

Antes de saber quais são as tendências para dividir ambientes interiores, é bom ter em mente o objetivo de separar as áreas de sua casa. Os pontos levantados serão muito importantes, não apenas para definir, mas para orientar os melhores materiais para a construção das divisórias.

Se a intenção é ganhar mais privacidade, os acabamentos inteiriços e opacos são os mais aconselháveis. A madeira, por exemplo, traz bastante aconchego e possui muita maleabilidade em seu manuseio, originando projetos muito versáteis.

Caso a intenção seja comunicar melhor um ambiente ao outro, azulejos do tipo cobogó dão um toque tropical com o que há de mais sofisticado em nossa arquitetura tradicional. Qualquer que seja o motivo, colocar todos os pontos no papel ajuda na hora de escolher a melhor opção para dividir os ambientes.

Níveis diferentes em um mesmo cômodo

O jogo de níveis é ideal para quem quer integrar ambientes sem trazer muito contraste no limite visual. Este tipo de construção é muito comum para quem gosta de salas amplas, iluminadas e ventiladas. As salas podem originar dois ambientes diferentes, sendo um para televisão e lazer, enquanto outro fica reservado para refeições e eventos mais movimentados.

Geralmente os níveis são ligados por uma pequena escada, que pode ter de um a três degraus. Para quem deseja ter um jogo de níveis em casa, mas possui familiares com dificuldades de locomoção, a maneira de melhorar a usabilidade do espaço pode ser um pequeno corrimão junto a parede. No caso de bebês muito pequenos, uma pequena barreira pode ser instalada, a fim de evitar acidentes.

Contraste em cores para dividir ambientes

Para quem curte os estilos boho, marroquino, ou não dispensa as cores na decoração, a pintura de contrastes pode ser a divisória mais sedutora desta lista. Apostando em cores vibrantes, os ambientes podem ser definidos somente com a pintura das paredes e tetos, criando, desta forma, áreas visuais dentro de um mesmo cômodo.

Estude uma paleta que tenha a ver com os móveis e com o resto da casa, usando, por exemplo, cores complementares para dar uma sensação diferente entre um canto e outro. Para uma divisória eficiente, evite os meio tons e cores pastéis, que podem unificar em vez de criar a divisão pretendida.

Algumas técnicas de pintura podem ser utilizadas, criando texturas que deixarão o ambiente ainda mais estiloso.

Divisórias modulares como solução versátil

Quando a casa apresentar metragem reduzida, uma boa solução pode ser investir em divisórias móveis — instaladas de acordo com o gosto e o humor dos moradores. As portas de correr são ideais para este tipo de ambiente, e podem ser recolhidas unificando a sala, ao mesmo tempo em que se transforma um canto em quarto de hóspedes.

Há divisórias que podem, ainda, ser retiradas, como cortinas, estruturas de tecido e biombos modulares. Em todos os casos, escolha materiais que sejam de fácil manuseio e limpeza, para tornar o cotidiano ainda mais prático. E para quem deseja ousar ainda mais, pode usar estampas nas divisórias e acabar recebendo muitos elogios dos visitantes.

Elementos vazados para comunicar espaços

Se a ideia é criar um ambiente sem prejudicar a comunicação entre os espaços, então o melhor a fazer é trazer elementos vazados que ajudam a construir uma divisória delicada. Esta é uma boa maneira, inclusive, para quem quer aproveitar a ventilação e a luminosidade, a fim de não ter perda com anteparos.

A vantagem dos elementos vazados é que podem oferecer desenhos muito bonitos, tornando-se uma peça fundamental na decoração. Os painéis em MDF podem ser recortados a laser, trazendo muito requinte para o ambiente.

Os cobogós certamente trazem bastante charme e distinção para o cômodo. Embora exijam um pouco mais de mão de obra para sua instalação, o resultado faz todo esforço valer a pena!

Paredes sem base para surpreender as visitas

Quem gosta de tendências contemporâneas, a parede sem base cria um aspecto muito moderno no ambiente. Fixada diretamente no teto, a parede pode variar sua altura, normalmente medindo metade do pé direito do cômodo.

O material mais utilizado para esta parede sem base é a madeira que, quanto mais nobre for, melhor será o seu impacto na decoração. Embora a madeira tenha a fixação mais fácil de ser acertada, outros materiais, como alvenaria, acrítico ou vidro podem ser usados.

Trazendo privacidade, as paredes sem base podem ser projetadas em conjunto com canteiros ou pequenos jardins no chão, obedecendo as mesmas dimensões lineares da divisória.

Dividir ambientes se tornou uma prática muito comum na arquitetura contemporânea. Tendo em vista que a residência tem se tornado, cada vez mais, um espaço que acopla home office, lazer e convivência com os familiares, é muito importante ter atenção redobrada na hora de reformar ou construir os ambientes.

As divisórias devem corresponder aos hábitos e preferências dos moradores, tornando-se não somente um objeto de decoração, mas um elemento que pode realmente modificar a usabilidade dos cômodos da casa, trazendo mais conforto, praticidade e elegância.

Gostou do artigo? Investir no que se gosta nunca é demais, não é mesmo? Aprenda também como colocar quadros na parede da sua casa e torne o ambiente ainda mais agradável para você e os visitantes!

 

moça realizando a organização doméstica

Veja a importância da organização doméstica e aprenda como fazê-la!

Manter a organização doméstica é essencial para ter uma vida plena e feliz. Pode parecer clichê, mas é a mais pura verdade. Afinal, uma casa desarrumada, suja (ou uma terrível combinação das duas opções) é o ambiente ideal para moradores com baixa qualidade de vida.

Para evitar que isso aconteça no seu lar doce lar, preparamos este post, que vai ajudar você a entender a importância de ter um espaço organizado. Além disso, separamos algumas dicas preciosas para manter a organização doméstica. Vamos lá? Boa leitura!

Entenda a relevância da organização doméstica

Muitas pessoas acreditam que camuflar a bagunça apenas quando vai receber visitas é uma atitude correta, ou que ter determinados cuidados são dispensáveis. Entretanto, o que elas talvez não tenham percebido, é que um imóvel desorganizado influencia negativamente a vida e a rotina dos moradores.

Ter razões práticas para cuidar da casa é muito importante para entender a real importância de deixar o espaço sempre limpo e em ordem. Por isso, veja alguns dos principais motivos:

Evita problemas respiratórios

O acúmulo de pó pelo imóvel pode aumentar a incidência de problemas respiratórios nos moradores. Afinal, aspirar poeira faz com que ela se instale nas mucosas respiratórias e chegue aos pulmões. Rinite, bronquite alérgica e asma são algumas das doenças mais comuns que podem ser provocadas pelo excesso de pó.

Reduz o estresse

Além de ser ruim para a saúde do corpo, estudos mostram que a bagunça também aumenta o estresse e a ansiedade. Ao contrário, uma casa arrumada proporciona uma sensação de conforto e tranquilidade.

Otimiza o tempo

Se cada objeto estiver no seu devido lugar, fica muito mais fácil realizar as tarefas do cotidiano, não é mesmo? Tarefas como sair e entrar em um cômodo, ou preparar uma refeição são feitas com muito mais facilidade e alegria, se tudo estiver minimamente arrumado.

Saiba como manter a casa em ordem

Agora que já falamos sobre a importância da organização doméstica e como ela afeta a rotina dos moradores, chegou a hora de saber como fazê-la. Confira algumas dicas!

Descarte o que não for mais útil

Já pensou em quantas coisas inúteis você tem na sua casa? Objetos quebrados, que não funcionam ou que não são aproveitados por ninguém, podem e devem sair de cena. Por isso, venda, doe ou jogue no lixo tudo aquilo que não tem mais utilidade.

Livre-se da poeira

Como vimos, a poeira pode comprometer a saúde de quem mora na casa. Para evitar que isso aconteça, aspire com frequência os estofados, colchões, tapetes e até mesmo o piso da residência. Não se esqueça de usar um pano para limpar móveis, computadores e objetos de decoração.

Crie o hábito de deixar a casa sempre arrumada

É essencial cultivar o hábito de deixar a casa arrumada. Afinal de contas, não basta apenas organizar, é preciso manter essa organização todos os dias. Se esforce para deixar tudo no seu devido lugar sempre. Com o passar do tempo, isso vai se tornar cada vez mais natural — e arrumar a casa vai ser bem mais rápido.

Quem não quer ter mais qualidade de vida, não é verdade? A organização doméstica é um dos fatores que influenciam essa melhora. Por isso, comece agora mesmo a aplicar na sua casa as informações deste conteúdo e torne o seu lar muito mais confortável e feliz.

Gostou deste post? Aproveite, também, para ler dicas sobre como deixar a sua casa mais perfumada!

um dos vários tipos de cristais

Você conhece os tipos de cristais? Conheça quais são e diferencie!

Uma das maneiras mais garantidas de acrescentar sofisticação e bom gosto à decoração é apostar nos objetos com cristais. Seja em taças, lustres, objetos, vasos ou outros adornos, esse material sempre chama atenção por sua delicadeza e capacidade de refletir o espectro de luz. Mas você conhece os tipos de cristais existentes e a diferença entre eles?

Na hora de incluir essa peça na decoração, é importante ter atenção a vários detalhes, até mesmo para não levar gato por lebre! Por isso, neste post explicaremos tudo sobre o assunto e mostraremos o que é necessário para um material ser considerado cristal. Continue a leitura e confira!

Características de um cristal

Os cristais são muito utilizados nos itens de iluminação por um motivo bem interessante: as primeiras aplicações do material foram feitas em lustres da realeza da Europa no século XVIII.

Antes da técnica de produção do cristal ser inventada, os lustres eram confeccionados em vidro e espelho, mas esses materiais não são favoráveis à lapidação. A partir daí, começou uma busca por uma solução sofisticada e também mais viável em termos de fabricação.

O cristal é um material produzido de forma semelhante ao vidro, uma vez que também se origina da areia aquecida. A diferença entre os dois produtos é que o cristal leva óxido de chumbo em sua composição, o que o deixa mais delicado, translúcido e com maior capacidade refletora e maciez.

Para verificar a qualidade da peça, é preciso levar em conta a porcentagem de óxido de chumbo presente no material. Nos Estados Unidos, considera-se que 1% de óxido de chumbo já é suficiente para que um vidro se torne cristal. Na Europa, por outro lado, é necessário que a peça contenha 10% do elemento.

Os cristais de alta qualidade, em contrapartida contam com aproximadamente 24% de óxido de chumbo em sua composição e, quanto maior o índice, melhor a qualidade do material. No entanto, a incidência de mais de 38% de óxido de chumbo deixa o cristal turvo, o que compromete o visual diferenciado da peça.

Tipos de cristal

Conheça a seguir as principais marcas de cristal do mundo — que contam com aproximadamente 30% de óxido de chumbo em sua composição — e o que mais faz com que o padrão de qualidade desses materiais seja tão elevado.

Cristal Swarovski

Este cristal é produzido nos Alpes austríacos desde 1895 e é símbolo de tradição e requinte. É fabricado de acordo com normas internacionais de proteção ao meio ambiente e em conformidade com os padrões necessários para ser caracterizado como cristal ultraclaro.

Asfour Egípcio

Fabricado no Cairo, esse cristal também tem certificações relacionadas à gestão ambiental consciente e à qualidade do produto. Uma característica importante desse cristal é que somente ele é capaz de refletir as 7 cores do espectro — tanto nas paredes do ambiente como na própria peça.

Cristal chinês

Apesar de não se tratar de uma peça legítima — já que é feita de vidro e acrílico —, o cristal chinês não pode deixar de ser mencionado aqui, uma vez que a falsificação quase perfeita pode confundir o consumidor desavisado.

O principal ponto a ser observado em caso de suspeita é o processo de lapidação. Os cristais Swarovski e Asfour são tratados como pedras preciosas e, por isso, o acabamento e os furos das peças são perfeitos.

O cristal chinês, em contrapartida, é furado de forma mais grosseira por meio de máquinas simples. Esse processo faz com que as imperfeições do acrílico fiquem mais aparentes.

Por isso, quando for adquirir suas peças, procure uma loja de confiança e que ofereça cristais de boa qualidade. Sobre esse ponto, é importante ressaltar que, apesar da incrível qualidade dos cristais Swarovski e Asfour, existem no mercado várias outras marcas de altíssima qualidade.

Modelos e formatos de cristal

Agora que você já sabe o que é preciso para um produto ser considerado cristal e como reconhecer uma peça de qualidade, vamos apresentar alguns formatos e modelos de peça de cristal muito usados na decoração.

Então, da próxima vez que for escolher as suas peças de decoração, lembre-se de prestar bastante atenção nesses detalhes.

Mandala

Esse é um dos tipos de cristais mais utilizados em peças de iluminação e está presente em plafons, alguns modelos de arandelas e também em pendentes. Tem aspecto moderno e as peças, geralmente, são combinadas em tamanhos diferentes em um mesmo lustre.

Bola

Esse é um formato de cristal bem tradicional e muito presente em luminárias, abajures e plafons. O tipo bola se diferencia por sua alta capacidade de refração da luz e, além disso, as peças aparecem em diferentes tamanhos.

Placa ou bacalhau

O cristal do tipo placa — ou bacalhau — é utilizado, sobretudo, em peças clássicas, como no modelo de lustre conhecido como Maria Tereza. Os cristais geralmente ficam dependurados pelo corpo do lustre e dão a qualquer ambiente uma atmosfera altamente refinada.

Cristal pirulito

Muito utilizado em acabamentos — ou seja, na finalização de outras peças pendentes —, o cristal do tipo pirulito promove uma diferenciação na peça e é comumente encontrado em plafons, lustres e arandelas.

Retângulo

O cristal retângulo também é muito utilizado para acabamento, no entanto, mais na parte lateral de plafons e lustres. Ele confere ao objeto um ar de sobriedade e modernidade, ao contrário do modelo bola, por exemplo.

Amêndoa

Esse tipo de cristal é bem versátil, já que aparece com lapidações mais angulosas e mais arredondadas e, por isso, pode ser utilizado em vários objetos. Além disso, pode ser encontrado em três cores: transparente, âmbar e fumê.

Como você pode ver, ao escolher as peças de decoração com cristais é importante ter atenção a uma série de detalhes. Por se tratar de um material tão sofisticado e delicado, vale a pena dedicar um tempo à pesquisa dos tipos de cristais existentes. Assim, você escolhe a peça que mais combina com você e com a sua casa.

E aí, gostou do conteúdo do post? Para continuar aprendendo ainda mais sobre as melhores maneiras de deixar o seu espaço da maneira que você sempre sonhou, descubra como incrementar flores na decoração. Com as nossas dicas, você vai receber os seus convidados de forma muito mais aconchegante e original!

 

casa sofistica e elegante com o uso das peças de cristal

Aprenda quais são as principais peças de cristal para decoração!

Poucos materiais são tão elegantes e sofisticados como o cristal. Por isso, uma boa ideia para criar no lar um ambiente refinado e iluminado é apostar em peças feitas com ele.

O cristal, atualmente, pode ser incluído na decoração de diversas maneiras. Não são apenas taças e copos produzidos com ele: há uma grande variedade de peças de cristal, em diferentes formatos, cores e funções.

Neste post, explicamos um pouco mais sobre como incluir peças de cristal na decoração e apresentamos algumas dicas de como cuidar delas. Acompanhe!

Lustres e luminárias

Nenhuma decoração de casa ou apartamento fica completa sem o cuidado com os lustres. Afinal, eles têm o poder de captar a atenção de quem transita pelo ambiente, principalmente quando se trata de um espaço com o pé direto alto.

E se forem lustres de cristal, o destaque é ainda maior. Não é necessário nem escolher uma peça grande e muito sofisticada: pode-se optar pelo modelo que mais combina com o restante do ambiente — com toque clássico, vintage ou moderno. Também é possível usar esse ponto focal para criar contraste com os demais itens da decoração.

Uma dica valiosa em relação aos lustres é ter atenção ao local em que serão pendurados para que não haja o risco de alguém esbarrar neles. Portanto, vale se certificar de que ele não vai ficar em um lugar de passagem. Além disso, é importante considerar a influência do vento, já que as peças de cristal são muito delicadas.

Ainda na iluminação — aspecto tão essencial de qualquer ambiente decorado — é fundamental mencionar as luminárias, importantes para criar pontos de destaque. Usar cristais é uma maneira de dar um toque de bom gosto em um cantinho da casa que talvez ainda não tenha recebido toda a atenção que merece.

Recipientes

Uma boa decoração se faz nos detalhes. Por isso, se a ideia é incluir mais peças de cristal nos ambientes, uma opção é apostar em pequenos potes para armazenar objetos. Esses delicados itens conferem um charme especial às mesas de canto ou de centro, aos criados-mudos e às estantes, e ainda cumprem uma função utilitária.

Outra possibilidade é incluir minivasos com flores frescas e delicadas no ambiente. Bombonieres e recipientes com formato interessante ou uma cor que se destaque do restante da decoração também são bem-vindos.

Para incrementar o visual dos quartos, pode-se experimentar apostar em pratos e discos de cristal para organizar joias e outros adereços usados no dia a dia. A peça pode ficar sobre a penteadeira ou mesmo na suíte. Assim, os itens do dia a dia não ficam espalhados e a decoração ganha mais esse charme.

Vasos

Os vasos de cristal são clássicos em todo ambiente com decoração sofisticada. Eles são perfeitos para receber um arranjo de flores encomendado para uma ocasião especial ou buquês que chegam em forma de presente.

E uma grande vantagem é que eles ficam bem em diferentes pontos da casa. Ao receber para um jantar, por exemplo, pode-se preparar um belo centro de mesa, com um vaso de bom tamanho. Isso deixa a recepção cheia de personalidade — e não há quem não goste de apreciar uma bela decoração com flores.

Esse tipo de peça vai bem, ainda, no hall de entrada, em mesas laterais, em aparadores e onde mais a imaginação mandar. Muito cuidado com o tamanho do vaso escolhido: é fundamental que ele fique proporcional ao local em que será colocado.

Em jantares, por exemplo, é desagradável quando as peças de decoração atrapalham o contato visual entre os convidados. Por essa mesma lógica, ao colocar um vaso em um local com poucos móveis, é importante que a peça tem tamanho suficiente, para que não fique deslocada e haja a impressão de que foi esquecida naquele lugar.

Taças

As clássicas e elegantes taças de cristal não podem faltar em um lar que preza pelo requinte. Afinal, isso faz toda a diferença ao oferecer um jantar especial e receber os amigos. Os convidados sempre notam o cuidado dos anfitriões com esse tipo de detalhe.

Por serem muito delicadas, é recomendável deixar para usar essas peças em momentos especiais e que merecem uma comemoração diferenciada. Hoje em dia, já existem taças de cristal em diferentes cores, formatos e utilidades. Então, avalie a proposta do ambiente como um todo e adquira peças que mais combinam com sua personalidade.

Ao servir bebidas em taças de cristal, vale caprichar para valorizar ainda mais o objeto. Uma opção é apostar em bandejas de prata ou organizá-las no aparador para que recebam o destaque merecido.

Cuidados com as peças de cristal

Apostar no uso de cristal ajuda a dar um toque de sofisticação à decoração, mas, para manusear peças tão delicadas, é preciso tomar alguns cuidados. Primeiramente, separe um lugar seguro e fora do alcance de crianças para guardar as peças.

As taças e os copos podem ficar mais à mão — por exemplo, dentro do buffet. Já os jarros e outros itens devem ter um cantinho especial para serem acomodados quando não estiverem em uso.

Outro ponto importante é manter as peças sempre bem limpas. Afinal, de nada adianta investir em boas taças se elas não estiverem completamente brilhantes. Então, procure limpá-las com água morna e detergente neutro. E é necessário secá-las totalmente antes de guardar, para que não fique nenhuma mancha.

Se a ideia é investir em diferentes peças de cristal, preze sempre pelo equilíbrio. Procure distribuir os objetos em pontos estratégicos de acordo com o tamanho dos ambientes. Afinal, ao incluir peças em excesso em um único lugar, nada ganha destaque e relevância na decoração.

De modo geral, é possível usar peças de cristal na decoração de diversas maneiras, independentemente do estilo predominante. Então, para surpreender a todos na próxima recepção, escolha uma loja que ofereça peças de qualidade e prepare-se para deixar a casa ainda mais charmosa.

Quer aprender mais sobre decoração e as melhores formas de receber convidados? Leia o post sobre os tipos de taças para cada bebida e não erre mais nesse detalhe!